> Saiba onde comemorar a data cabalística 11.11.11!

11 11 2011

O SP ROAD fez uma seleção das melhores festas de hoje para quem vai ficar em São Paulo!

Em 11/11/11 (Sexta-Feira) o mundo vai acabar e nesse dia vai rolar a festa cigana “Vinil de Luxo – Edição Esotérica”. A data cabalística será festejada com pop, eletro e house. Os DJs tocam somente com LPs, proporcionando um som mais puro e vibrante!

A festa é temática. Quem vier com um lenço na cabeça ganhará uma dose de Lucky Star, um drink que traz sorte no amor. A “cigana” Amanda fará performances picantes e oferecerá um par de dados a você logo na entrada. Quem tirar 11, ganha o drink especial. Cada pessoa pode jogar 3 vezes.

Line up:
DJ Ullisses Campbell
DJ Cris Pantojo |
DJ Luca Lauri (Convidado Especial)
Mezanino: Donna Piedade!
 
COMO? ONDE? QUANDO?
Sonique Bar
Onde? Rua Bela Cintra, 461 – Bela Cintra – SP
Quando? Sexta-feira, 11 de Novembro às 23h
Quanto? Com nome na lista vinildeluxo@gmail.com e entre VIP até as 23h30
___________________________________________________________________________________

  

 O DJ e promoter FABIO SPAVIERI  anima as sextas da casa com clássicos e novidades do rock, electro, disco e pop! SPAVIERI, ou DICK ROCK, convida em toda DALE! amigos e DJs da cena para a cabine do ALBERTA #3.

Nesta sexta o convidado é o DJ SERGIO BARBO, veterano da noite paulistana, com passagens por casas como MADAME SATÃ, RETRÔ, DER TEMPLE, MATRIX e ASTRONETE.

COMO? ONDE? QUANDO?
Alberta #3
Onde? Av. São Luís, 272 – Centro – SP
Quando? Sexta-feira, 11 de Novembro às 22h
Quanto? Entrada gratuita até 22h, depois R$ 35,00 na porta ou R$ 25,00 com nome na lista no dalealberta@gmail.com (emails até 18h)
___________________________________________________________________________________

A noite não é somente mais um período de nosso ciclo diário. Ela é um lugar de contrastes, de misturas, de encontros e descobertas. É o espaço mais fecundo para que os opostos, tanto os que normalmente se atraem como os que se repelem, entrem em contato e criem algo novo e único. “Freak” é usualmente tudo aquilo que foge à norma, as coisas insólitas, cujo charme particular fala apenas a alguns poucos privilegiados, aqueles que conseguem decifrar seu código ou ver através daquilo que justamente parece estranho. “Chic”, por sua vez, compreende tudo aquilo já tomado como elegante, cuja suntuosidade e apelo residem justamente no inequívoco reconhecimento de sua perfeita representação do que é tido como um bom-gosto estebelecido. E, assim, esta peculiar contraposição torna-se uma fértil composição.Formando uma ambiência tão extasiante quanto aconchegante e ao qual todos contribuímos com nossa sofisticação própria, trazendo nossa postura e integrando-nos à mistura. É exatamente este amálgama de opostos que a Freak Chic procura conjugar em uma noite muito especial. A atmosfera criada toda sexta-feira é própria deste choque, no qual pólos até então tidos como contrários se unem para formar o momento em que tudo pode acontecer e o lugar ao que todos são bem-vindos: sons, estilos, preferências, personalidades ou atitudes.

Line up:
COLETIVO GANG OF 5(BISPO,BEZZI,EDUARDO CORELLI,LUIS DEPECHE E HISATO)
GLOCAL(DANIEL ELSOUTO E LENOXX)
DJ BEN MONO (ALEMANHA)
 
COMO? ONDE? QUANDO?
D-EDGE
Onde? Al. Olga, 170 – Barra Funda -SP
Quando? Sexta-feira, 11 de Novembro às 23h
Quanto? Na porta R$ 60 de entrada ou R$ 120 consumação. Com nome na lista R$ 40 de entrada ou R$ 80 de consumação. Nomes para  freakchic@d-edge.com.br
____________________________________________________________________________________
Rock, Songs, Chicks e Love serão as tags que guiarão a picnic desta sexta-feira. Os responsáveis por cumprir à risca com a proposta de clima são os amigos Uncle Rubens (DJs Dea, Victor, Sil, Dri e Marina Lee) e a DJ Priscila Castro (King55).  Os residentes Mari Leone e Mahle Robin (é claro!) estarão presentes.

Você, engajado e entendido que é, já deve saber que a galera do Uncle Rubens tocou por um bom tempo uma festinha pra lá… de boa no extinto Clube Praga, e cujo tom da noite sempre foi rock, apenas rock, o melhor do rock.

Não precisa falar nada, né? Já está avisado! O clima é esse mesmo: som alto, pista cheia, corpos em balança, ouvidos tomados, energia, dançante! Pois então venha no clima.

COMO? ONDE? QUANDO?
ALLEY CLUB
Onde? Rua Barra Funda- 1066 – Barra Funda – SP
Quando? Sexta-feira, 11 de Novembro às 23h
Quanto? R$ 30,00 de entrada ou R$ 60,00 de consumação. Entrada gratuita das 23h às 0h com apresentação do cupom disponível no site
_____________________________________________________________________________________
 
Nessa sexta-feira a Funhouse comemora essa data cabalística que será única! Dia 11, do mês onze, de 2011, às onze da noite.  Colocando a pista pra ferver teremos Felipe Savone, residente da Decadance (Alberta #3), com seu set sempre atual e dançante. Bebeto Le Garfs, que já pois muita gente pra dançar, tocando desde Calvin Harris a Two Door Cinema Club. Os blogueiros, UHBreakers, que farão um set especial pegando mais para o Indie, diferente do costumeiro Pop. Poms e Handys Klaus, DJ e promoter da melhor festa do ramo, a Indie Party SP.

E como se não bastasse esse line-up, chegando no sobradinho antes da 1h e com nome na lista a entrada é VIP. Isso mesmo! Então já coloque seu nome na lista em e não perca esse dia tão marcante!

Line-up:
Felipe Savone
Bebeto Le Garfs
UHBreakers
Poms
Handys Klaus (Indie Party)
Move That Jukebox DJs

COMO? ONDE? QUANDO?
FUNHOUSE
Onde? Rua Bela Cintra, 567 – Consolação – SP
Quando? Sexta-feira, 11 de Novembro às 23h
Quanto? VIP com nome na lista até 01h. Após R$30 consumação ou R$15 entrada. Nas porta R$50 consumação ou R$25 entrada
______________________________________________________________________________________

No Baile de Cavalheiros: Alfa @ Clube Glória a proposta musical é ir além do pop passando por vertentes com que tem de melhor no 90’s, indie e eletro, SÓ BAPHO!

A festa feita por um coletivo de amigos tem nas pick-ups:

André Rodrigues
Beto Siqueira
Daniel Alfaya
Fabiano Karvax
Felipe Abe
Gustavo Matavelli
Guto Magalhães
Lex Mendes
Leandro Pardí
Luca Lauri
Luigi Torre

Essa edição o vídeo artista Rodrigo Machado faz projeções pelo Glória pra deixar tudo ainda mais colorido junto coma  artista Adriana Ramalho.  O camarote recebe os convidados nacionais e internacionais do Festival Mix Brasil de Cinema!  Além de tudo isso, teremos DOZE drinks exclusivos que levam o nome de cada um dos membros do clã.

COMO? ONDE? QUANDO?
CLUBE GLÓRIA
Onde? Rua 13 de Maio, 830 – Bela Vista – SP
Quando? Sexta-feira, 11 de Novembro às 23h
Quanto? Lista do site: R$30 entrada ou R$ 60 consumação.  Na porta R$ 40 entrada ou R$ 80 consumação Flyer: R$25 entrada ou R$ 50 consumação
Advertisements




> Hoje tem Thaís Gulin @ Studio SP!

10 11 2011

> Essa quinta-feira, 10 de Novembro acontece o show da Thaís Gulin @ Studio SP!

O trombone que leva a introdução de ôÔÔôôÔôÔ, o violão que conduz a harmonia, a marcação precisa do surdo (do especialista Gordinho) e até um apito que se ouve ao fundo nos dá a certeza de que estamos, sim, em pleno Rio de Janeiro e entrando no universo do samba. Na mesma introdução, uma sutil guitarra distorcida, os silêncios e as poucas notas de um piano Rhodes nos fazem lembrar que sim, estamos no samba, mas de certa forma vendo as coisas, senão de fora (pois trata-se de um samba de verdade, ou um antissamba-enredo), com o frescor de quem chegou de fora, cheio de ideias novas.

O surpreendente samba autoral que abre e batiza o segundo disco da cantora e compositora curitibana radicada no Rio Thaís Gulin – composto no carnaval de 2010 antes do desfile da Mangueira, sua escola de coração – é tão explícito nas suas intenções na letra quanto na produção musical descrita acima: “Eu vou cair nessa avenida/Eu vou/Eu vou atrapalhar a sua escola/Eu vou/ôÔÔôôÔôÔ/Vou sair pra atropelar seu enredo/A bateria correu/Todos os surdos com medo/E quem puxava o samba era eu”.

Thaís Gulin interpreta a canção Se eu soubesse que Chico Buarque fez para a própria e já cantou com ela: “Ah se eu soubesse nem olhava a Lagoa/Não ia mais à praia/De noite não gingava a saia/Não dormia nua/Não ia, assim, sonhar contigo jamais”.

ôÔÔôôÔôÔ é assim, o encontro de Thaís Gulin com o Rio, cidade que adotou há oito anos e que vem conquistando aos poucos, em pequenos shows calcados em seu primeiro disco, de uns quatro anos atrás. Mas se aquele refletia vinte e poucos anos de vivências, e vivências em Curitiba (que incluía canções do paranaense Arrigo Barnabé, mas também do paraibano Zé Ramalho ou do carioca Nelson Sargento), este ôÔÔôôÔôÔreflete exclusivamente vivências cariocas.
E o que emerge é um Rio encantador e misterioso, um Rio que se palmilha a pé, das caminhadas na Lagoa aos bares da Lapa, como nas canções peripatéticas da fase mais recente de Chico Buarque.  A canção Se eu soubesse, que Chico fez para Thaís e canta com ela, é, além de um grande opus buarquiano típico de sua produção atual, não menos representativo do leitmotiv carioca do disco. “Ah se eu soubesse nem olhava a Lagoa/Não ia mais à praia/De noite não gingava a saia/Não dormia nua/Não ia, assim, sonhar contigo jamais”.

Na produção musical da faixa, o teclado meio de brinquedo de Sacha Amback, o violoncelo de Jacques Morelembaum e, principalmente, a harpa de Cristina Braga conferem à canção tão realista de Chico uma atmosfera de sonho. Passear pelo disco de Thaís é um pouco isso: andar pelo Rio de Janeiro, mas um Rio de Janeiro algo suspenso, algo imaginário, onírico, real mas encantado. É andar por aí distraído, leve, como andamos no Rio, mas por vezes se deparar com altas voltagens musicais e poéticas.

Na valsa Horas cariocas, da própria Thaís, esse espírito fica ainda mais explícito. A instrumentação tipicamente carioca – com o violão de sete cordas de Luiz Filipe de Lima e o cavaquinho de estirpe de Mauro Diniz – mistura-se a guitarra, piano Rhodes e até uma flauta de êmbolo para reforçar a ideia de um Rio real e onírico (a tal “confusão das horas cariocas”), tão claro na letra.

O ambiente de sonho se evidencia na canção que Tom Zé canta com Thaís, Ali sim, Alice, inspirada em Alice no País das Maravilhas. A visão ao mesmo tempo onírica e real de Alice não deixa de ser mais um resumo do espírito do disco, esse realismo suspenso a dois centímetros do chão.

Outra faixa que encerra o espírito do disco, talvez a que na intimidade do pensamento da artista seja a mais significativa, é a pequena e densa peça instrumental The glory hole. A expressão inglesa designa os buracos na parede pelos quais as pessoas fazem sexo com desconhecidos em boates eróticas e, como na música, reflete o misto de medo e prazer, de atração e mistério, de íntimo e desconhecido que o Rio exerce em Thaís.

Thaís Gulin trabalhou o repertório de ôÔÔôôÔôÔa cada um dos dias que viveu no último ano, literalmente. Tanto que se o conteúdo é definido pela vivência carioca, a sonoridade do trabalho foi muito influenciada por viagens que ela fez no período a Buenos Aires e Belém.

De Buenos Aires, há sempre um clima de tango, de noites enfumaçadas passadas na rua ou na solidão do quarto, de uma imaginária ponte boêmia Caminito-Lapa. Tal ponte pode pegar um desvio para os bailes de Belém, como no delicioso carimbó Água, do produtor do disco Kassin. (Notem que na música feliz e relaxada de Kassin há a harpa no fundo, como que abrindo a cortina de sonhos, e há a ironia da letra, duas marcas tão fortes do disco).

Além do universo autoral muito claro (mesmo quando canta canções dos outros), Thaís sabe muito bem o que quer musicalmente. É precisa na forma de cantar, perfeita na afinação, na dicção mas, mais do que isso, no balanço, no humor (quando é o caso) e no lirismo, no estilo de cada canção. Trata-se, é evidente, de uma cantora que domina seu ofício. E que, por isso, pode ir além.

Há, neste sentido,  um prodígio neste disco, que o distingue dos trabalhos da maior parte das cantoras atuais, em geral com conteúdos divorciados das produções musicais. Em ôÔÔôôÔôÔ, Thaís finalmente une um conteúdo exemplar, melodias e letras marcantes, com uma produção musical moderna. Para isso, muito contribuíram os produtores Alê Siqueira e o próprio Kassin, escudeiros de Thaís (co-produtora do disco) nos arranjos e na sonoridade do disco, de atenção ao conteúdo e à melhor maneira de vesti-lo, indissociáveis.

Exemplos dessa adequação conteúdo/produção estão em cada faixa, mas quando o disco explora os gêneros musicais isso fica mais evidente. Como no Frevinho (parceria de Thaís com Moreno Veloso), ao mesmo tempo tradicional e cheio de pequenas invenções. Ou no xote-rock Revendo amigos, mais uma maravilha da dupla Jards Macalé e Waly Salomão (da melhor safra, 1972, originalmente escrita para uma velha novela da TV Tupi, Tempo de viver) redescoberta por Thaís e apresentada aqui numa versão crua de guitarra-baixo-bateria. Ou ainda em Little Boxes, velha canção de protesto caipira da americana Malvina Reynolds (música que abre a série de TV Weeds, que passa no cantal GNT) rearranjada com influência da moda de viola brasileira, numa curiosa união Sul (dos Estados Unidos)-Sul (do Brasil).

Seja numa daquelas baladas certeiras como Encantada, de Adriana Calcanhotto (uma cantora-compositora que fez o mesmo caminho de Thaís, do Sul para o Rio, trazendo uma nova visão carioca); numa parceria com Ana Carolina (e Kassin) como Quantas bocas (a grande canção pop do disco); ou num flerte de encomenda (para a novela homônima) com a MPB tradicional no tango (e faixa-bônus) Paixão Passione, de Ivan Lins e Ronaldo Monteiro de Souza, o que sobressai é sempre um pensamento e um estilo de uma cantora e compositora que sabe o que quer, e que tem um universo próprio. E que já fez uma opção artística e existencial clara, explícita na opção por se radicar no Rio, por fazer música brasileira com jeito contemporâneo, condensada na canção-manifesto assinada pelo jovem compositor carioca  Rodrigo Bittencourt, Cinema americano: “Prefiro os nossos sambistas”, canta Thaís, em mais um verso carioca e inusitado, como quase todos de ôÔÔôôÔôÔ.

COMO? ONDE? QUANDO?
STUDIO SP
Onde? Rua Augusta, 591 – Consolação – SP
Quando? Quinta-feira, 10 de Novembro às 22h
Quanto? R$ 30,00 na porta ou R$ 25,00 com o nome na lista do site até às 18h




> Essa quinta-feira tem Fuck Yeah @ Alberta #3!

10 11 2011

> Essa quinta-feira, 10 de Novembro tem Fuck Yeah @ Alberta #3!

A festa mensal FUCK YEAH é organizada pela dupla de cineastas ADIPE NETO & MARIANA BASTOS. Conta com boa música, amigos e profissionais da sétima arte atuando nas pick-ups!

Nesta quinta os convidados são BINHO MR. HAT, DANIEL RAAD, CARLA ELEKTRA e PAULO CARVAS.

COMO? ONDE? QUANDO?
Alberta #3
Onde? Av. São Luís, 272 – Centro – SP
Quando? Quinta-feira, 10 de Novembro às 20h
Quanto? Casa abre 19h, entrada grátis até 22h, depois R$25,00 na porta ou R$15,00  com nome na lista fyeah.alberta3@gmail.com (emails até 18h) 




> Essa sexta-feira tem Soulutions @ Casa 92!

4 11 2011

> Essa sexta-feira, 04 de Novembro tem Soulutions @ Casa 92!

Criado pelo DJ e produtor paulista Ney Faustini, o projeto Soulution tem um amplo leque de referências musicais, passando principalmente pelo Funk, Soul, Disco, House e Techno. A festa teve 5 edições em 2009, no 8 Bar, e em 2010 se instalou na Casa 92, localizada no bairro de Pinheiros, em São Paulo.

Atestando o seu ecletismo, a festa já contou com convidados de peso da dance music underground nacional como Augusto Merli, Tahira, Rafael Moraes, Benjamin Ferreira, Jac Junior, Davis, Kuba Stepp, Andre Torquato, Silvio Conchon, Felicio Marmitex, Konrad, Colors Sound System, Godi Osegueda, Gustavo Pamplona, Voyage Inc., entre outros. O convidado de hoje é DJ Sidney Gomes, que não é nem preciso falar de todo o seu histórico ou ficaríamos aqui o dia todo!

Vai perder?

COMO? ONDE? QUANDO?
CASA 92
Onde? Rua Cristovão Gonçalves, 92 – Pinheiros – SP
Quando? Sexta-feira, 04 de Novembro às 22h30
Quanto? Com nome na lista R$ 3o,oo de entrada ou R$60,00 de consumação




> Dia 06 de Novembro Interpol faz show extra em SP @ Clash Club!

31 10 2011

> Dia 06 de Novembro, Domingo a banda Interpol faz show extra em SP @ Clash Club!

Formada atualmente por Paul Banks (vocal e guitarra), Daniel Kessler (guitarra e vocal) e Sam Fogarino (baterista), a banda Interpol confirma passagem pelo Brasil e faz show extra no Clash Club. O show será aberto ao público, mas com venda de ingressos limitada, com preços que variam de R$ 70,00 (estudante) a R$ 140,00. Pré-venda de ingressos no site da Interpol dias 24 e 25 de agosto e venda aberta ao público a partir do dia 26.

Interpol esta na estrada desde 1997. Agora com a divulgação do novo trabalho auto-intitulado, que será lançado no dia 13 de setembro. O trio já possui uma agenda repleta de apresentação até o final do ano, com passagem pela América do Norte, Europa e Reino Unido. Além disso, nas datas finais da turnê, o trio vai acompanhar os shows da banda U2, passando pela França, Espanha, Itália, Bélgica e Portugal.

Com três discos lançados, a Interpol obteve a consagração com o primeiro álbum intitulado “Turn On The Bright Lights” (2002), ganhou disco de ouro com “Antics” (2004) e em 2007, alcançou as paradas de sucesso do Reino Unido e Estados Unidos com “Our Love to Admire”.
 
O trio é uma das bandas que se apresenta no Festival Planeta Terra dia 05 de Novembro!
 
COMO? ONDE? QUANDO?
CLASH CLUB
Onde? Rua Barra Funda, 969 – Barra Funda- SP
Quando? Domingo, 06 de Novembro as 21h
Quanto?  R$ 70,00 (estudante) / R$ 140,00 inteira. Compra pelo site Ingresso Rapido 




> Esse sábado tem Decadance Halloween @ Alberta #3!

29 10 2011
> Esse sábado, 29 de Outubro tem Decadance Halloween @ Alberta #3!
 
Há exatamente um ano atrás fizemos uma festa especial de Halloween com o premiere do filme Surrealistica Uniferno, primeiro longa do coletivo Mater Suspiria Vision. A Decadance foi escolhida junto com outras 14 festas no mundo pra fazer essa estréia lisérgica desses que são uns dos pioneiros do hoje hypado Witch House.

Dessa vez a gente não vai ter filme, mas vamos fazer uma noite do mal com 4 amigas vampiras. As primeiras são Aline Taleban e Cassia Tabatini. Aline é DJ há um bom tempo e hoje é residente do Beat Club. Cassia é artista plástica e fotógrafa e vem trazer suas boas referências pra pista do Alberta. Juntam-se a elas Maritsa e Alemã, que de manhã são Marília Franco Rubio e Caterina Renaux. As duas trazem um set doido pra Decadance. Nunca tivemos tanta mulher tocando junto. Vai perder?!

Completam o lineup os 2 residentes da festa: Finotti e Rafa. Todos os sábados, unindo diferentes estilos musicais tendo o rock como elemento central, os 3 promovem a grande bagunça sonora da Decadance. Get used to it, you won’t regret!

COMO? ONDE? QUANDO?
ALBERTA #3
Onde? Av. São Luís, 272 – Centro – SP
Quando? Sábado, 29 de Outubro às 23h
Quanto? Entrada grátis até 22h, depois $35 (porta) ou $25 (lista) no lista@decadance.com.br (emails até 18h)  
 




> Esse sábado tem show do Del Rey @ Studio SP!

29 10 2011

> Esse sábado,29 de Outubro tem show do Del Rey @ Studio SP!

A DEL REY começou por causa da maior dor do mundo, a desilusão amorosa. Um amor em crise e a vontade de expressar musicalmente a angústia que o desentendimento causava. Nada melhor do que as baladas do rei Roberto Carlos, que tanto cantou sobre as inesgotáveis possibilidades de amor em toda sua plenitude romântica, para se fazer escutar. “As músicas mexem com o coração de todos da banda e quando estamos tocando, cada um põe a alma e o coração em serviço da canção”, diz China. “Por isso, cada música ganha nosso sentido e nosso balanço”, acrescenta.

Em maio de 2003 surgiu a idéia de formar a banda, após um telefonema de uma amiga que pedia sugestão de um grupo para animar uma festa. Com o telefone na orelha, eles acabavam de encontrar a primeira oportunidade para “ensaiar” a Del Rey e ver se o negócio tinha futuro. Poucos dias depois, China (ex-Sheik Tosado, agora com projeto solo), Chiquinho, Felipe S, Samuel e Vicente (todos da Mombojó) já faziam o primeiro show no Capibar, um bar na margem do Rio Capibaribe, em Recife.

O sucesso foi inesperado. A partir daí surgiram inúmeros convites para tocar em outros lugares e o grupo decidiu levar a idéia em frente. A formação mudou um pouco, saiu Samuel e entrou Marcelo Machado, também da Mombojó. Mas a diversão continua a mesma. Amigos que se juntam para tomar cerveja, tocando as músicas que ouvem em casa da maneira que elas os atingem, sem se preocupar com o público ou com somas de dinheiro.

“De certa forma, a DEL REY ajuda nos projetos oficiais de todos, por ser uma válvula de escape. Sem preocupações, vamos conhecendo e experimentando novas sonoridades, atingindo outro tipo de público e, por que não, divulgando nossos trabalhos oficiais”, lembra China.

China e mombojó trocam figurinhas há cinco anos. Depois da primeira experiência, não pararam de fazer projetos juntos. Uma brincadeira saudável, que acabou virando coisa séria e instrutiva. Com quatro anos de formação, a Del Rey já se apresenta Brasil afora e coleciona boas críticas em vários jornais, revistas e programas televisivos do País.

COMO? ONDE? QUANDO?
STUDIO SP
Onde? Rua Augusta, 591 – Consolação – SP
Quando? Sábado, 29 de Outubro às 23h
Quanto? R$ 30,00 antecipado ou R$ 35,00 antecipado